E agora 2021?

E agora 2021?

Uma visão das tendências e perspectivas para o Ano Novo nos mercados onde a Qualidados atua.

Dois mil e vinte, todo mundo já sabe, foi um ano difícil, com uma pandemia que assustou os mercados e de uma hora para outra revolucionou nossas formas de viver e trabalhar. Com a virada do ano – e as perspectivas de vacinação tornando-se concretas – o que podemos esperar de 2021?  Quais as principais tendências e perspectivas para os mercados onde a Qualidados atua? Que novas oportunidades estão surgindo? Para refletir sobre estes temas, nós batemos um papo com a sócia-diretora Jane Carvalho e o nosso gerente comercial, Everaldo Sena. Confira:

             O boom das paradas – Com muita demanda reprimida em função da interrupção de projetos durante a pandemia, a perspectiva é de que a indústria tenha um2021 de intensa atividade, sobretudo no que diz respeito às paradas de manutenção. Para evitar riscos de contaminação – já que eventos deste tipo mobilizam grande número de trabalhadores – a maior parte das empresas optou por adiar ao máximo em 2020 a realização de suas paradas programadas de manutenção. Everaldo Sena lembra, no entanto, que o adiamento não pode ser por tempo indeterminado, já que a confiabilidade dos parques industriais depende diretamente do índice de manutenção.

Além disso, o gerente conta que a perspectiva do início da vacinação tem gerado um clima de maior previsibilidade para os negócios. “Nas últimas reuniões, os clientes já demonstram um compromisso maior com o cumprimento de prazos de eventos que devem ocorrer ainda no primeiro semestre”, revela.

Para Jane Carvalho, este “boom de paradas”, com uma concentração de eventos num período curto de tempo, cria oportunidades especialmente interessantes para a Qualidados. “Com tantas empresas prestando serviço e fornecendo mão de obra para a indústria ao mesmo tempo, o planejamento – que é a nossa principal expertise – torna-se uma atividade ainda mais crítica, e neste sentido temos muito a contribuir, já que adotamos uma visão mais holística, que não é meramente aquela do planejamento executivo dos serviços”, garante.

O teletrabalho como opção- Se, por um lado, há a perspectiva de retomada de projetos que ficaram em compasso de espera; por outro, o mercado sinaliza para 2021 com oportunidades para exercitar novas formas de execução dos serviços, com o teletrabalho emergindo como opção viável para alguns setores.  Na opinião de Jane – ainda que a pandemia seja controlada e não haja mais necessidade de medidas de distanciamento – a tendência do mercado é de buscar soluções que otimizem resultados e restrinjam ao máximo os recursos in loco.

“Hoje nós temos condições de executar o planejamento de uma parada de manutenção com parte de nossas equipes trabalhando remotamente: isto é algo impensável no passado, e que representa uma oportunidade ímpar, inclusive como forma de reduzir a exposição de pessoas aos riscos de uma atividade industrial”, completa Everaldo.

O gerente acredita também que a pandemia contribuiu para dar uma “chacoalhada” numa certa zona de conforto em que se encontravam as atividades industriais, fazendo com que os clientes ficassem “sedentos por novidades” e mais abertos a inovar, com o crescimento do interesse por soluções remotas que antes ainda geravam resistência.

Neste sentido, garante Jane, a pandemia só confirmou à Qualidados o acerto da sua estratégia de se posicionar como empresa que tem como valor a oferta de soluções inteligentes para os clientes, com base, entre outras coisas, numa cultura de inovação intensificada nos últimos anos. “A pandemia nos demonstrou quer estávamos na direção certa e uma das demonstrações disso é que os projetos que desenvolvemos com startups estão sendo agora facilitados e dinamizados”, garante a executiva.

2021-01-15T20:22:17+00:0015/01/21|

About the Author: