Mais perto dos seus sonhos

>>>Mais perto dos seus sonhos

Mais perto dos seus sonhos

Cinco dicas da nossa coordenadora de Qualidade e coach Elane Araújo para ajudá-lo a mudar o seu modelo mental e alcançar os seus objetivos.

Você tem uma meta a alcançar?  Um desafio que lhe parece inatingível, apesar de depender basicamente da sua disciplina e força de vontade – como seguir adiante com aquela dieta, cumprir a promessa mil vezes adiada de levar a sério a academia, criar (e seguir) um plano de poupança ou investir em um velho sonho de carreira? Pois é.  A origem de seus problemas pode ser o seu mindset.

Traduzido em português como mentalidade, o conceito que virou moda no mundo das organizações foi desenvolvido pela psicóloga Carol Dweck para descrever a atitude mental com que encaramos a vida – e muito particularmente os nossos objetivos – e que é crucial para o nosso sucesso (ou não). Pessoas com mindset fixo tendem a se proteger em zonas de conforto e enxergam cada novo obstáculo como intransponível. Já quem tem um mindset progressivo está em constante movimento e encara mesmo derrotas como oportunidades de superação.  Se não deu certo hoje, por que não amanhã?

Com base nesta teoria, fica fácil concluir que, para atingirmos objetivos, uma boa ideia é estimular nosso cérebro a adotar um mindset mais progressivo. Empenhados em colaborar com os seus neurônios nesta tarefa, nós batemos um papo com a coordenadora de Qualidade da Qualidados, Elane Araújo. Formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, Elane tomou como base o seu conhecimento da teoria mindset e os exercícios que desenvolve com o objetivo de alavancar a carreira de seus coachees para criar conosco uma lista de cinco dicas simples mas inspiradoras  que irão  ajudá-lo a abandonar de vez aquela mentalidade Gabriela (do tipo “eu nasci assim, eu cresci assim”). Tudo isso para tornar mais curta a distância entre você e os seus sonhos.

  1. Busque fontes de leitura e autoconhecimento.

Muitas vezes tudo que uma pessoa precisa para dar um salto é de um pouco de conhecimento. E uma das formas mais ricas de obter conhecimento é através da leitura. Em seu trabalho como coach, Elane está constantemente estimulando seus clientes a se debruçar sobre livros que possam ajudar a promover transformação pessoal. As prateleiras das livrarias estão cheias de publicações sobre o tema. Mas não é apenas ler para se distrair, lembra Elane. É ler, estudar e refletir sobre o que se leu, trazendo o aprendizado para a sua vida.

Práticas de autoconhecimento como o próprio coaching, hipnose e as mais diversas formas de terapia também são poderosas ferramentas para mudar a nossa forma de lidar com os nossos objetivos, principalmente quando sentimos que há bloqueios que limitam o nosso potencial. Experimente.

  1. Perceba melhor a si mesmo e as suas emoções.

O caminho para o autoconhecimento começa com o exercício de prestar atenção em si mesmo. Reserve um tempo do seu dia para examinar suas crenças, comportamentos e, principalmente, emoções. Como verbalizo as minhas necessidades para os outros? Como meu corpo reage em situações de conflito ou quando me sinto vulnerável?  Estas reflexões vão te ajudar a ter insights preciosos sobre as mudanças que precisa colocar em prática.

  1. Saia da zona de conforto.

Agora que você já refletiu um pouco sobre alguns de seus padrões de resposta emocional, experimente desafiá-los um pouquinho. Em outras palavras, saia da zona de conforto, correndo o risco de se colocar aqui e ali em situações de maior exposição, desconforto ou vulnerabilidade.  Experimente fazer diferente, mesmo que a princípio não goste. De acordo com Elane, as situações que nos colocam à prova têm um potencial enorme de nos impulsionar em direção à mudança.  Praticando, você vai perceber que muitas situações que antes via como incômodas – e que tentava evitar a todo custo – não exercem mais o mesmo poder sobre as suas emoções. Nesta virada, está a chave para um mindset mais progressivo, que encara cada novo desafio como oportunidade.

  1. Busque estratégias para tornar o desafio mais prazeroso.

Ao mesmo tempo em que você começar a correr riscos – e a encarar o que lhe parece ameaçador, desagradável ou mesmo chato – crie estratégias para associar alguns estímulos prazerosos à situação que lhe parece aversiva. Por exemplo, se você detesta atividade física mas adora música, crie aquela playlist dos seus sonhos e experimente sair pra caminhar ou encarar a academia sem desgrudar do fone de ouvido.  Do mesmo modo, na hora de montar o cardápio da dieta, use a criatividade e esteja atento a todas as possibilidades de trazer prazer à sua refeição, ainda que ela possa estar mais restrita.

  1. Crie metas e estabeleça recompensas para você mesmo.

A ideia aqui é que você possa atuar como o seu próprio coach, estabelecendo metas e um sistema de recompensas para comemorar e agradecer cada desafio vencido.  Antes de definir as metas, Elane sugere que você experimente fazer o “exercício do espelho”. Só com o seu reflexo, olhe para si mesmo e pergunte: que imagem eu vejo agora? Que imagem eu gostaria de ver? A ideia é que esta investigação ajude você a definir aonde quer chegar. Já o prêmio não precisa ser um bem material, pode ser até uma tarde livre em que você se permita estar consigo mesmo e fazer apenas o que gosta, sem qualquer pressão ou compromisso.  O importante é achar a chave da sua motivação.

2019-05-27T17:49:28+00:0027/05/19|

About the Author: