O futuro do emprego

O futuro do emprego

Segundo o novo relatório, The Future of Jobs, publicado pelo Fórum Econômico Mundial neste ano de 2018, a Quarta Revolução Industrial, que inclui desenvolvimentos em campos anteriormente desarticulados, como inteligência artificial e aprendizado de máquina, robótica, nanotecnologia, impressão 3D, e genética e biotecnologia, causará uma ruptura generalizada não apenas nos modelos de negócios, mas também nos mercados de trabalho nos próximos cinco anos, com enorme mudança prevista nos conjuntos de habilidades necessárias para prosperar nesse novo cenário.

Pesquisas estimam que 65% das crianças na escola atualmente trabalharão em empregos que ainda não existem. As novas tecnologias devem eliminar empregos existentes, e também criar outros que possam lidar no dia a dia com estas inovações.

Estudos indicam que no ano de 2020 haverá de 70 a 80 milhões de pessoas com problemas de colocação profissional – ao mesmo tempo em que um número equivalente de vagas, com requisitos muito diferentes dos atuais, deve surgir.

O que acontecerá quando motoristas forem substituídos por carros autônomos, contadores por algoritmos e até médicos por computadores capazes de diagnosticar nossas doenças?

Quais são as possibilidades e oportunidades de trabalho para uma economia global em rápida transformação? Como estar preparado para ocupar as novas vagas que serão abertas em um futuro tão próximo?

Quem terá mais oportunidades serão aqueles que mais se adaptarem a essa nova era porque “não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”, disse Darwin, o pai da Teoria da Evolução.

As competências que são consideradas importantes na força de trabalho atualmente estão mudando. Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, já em 2022 as tecnologias disruptiva mudarão os modelos de negócio e os mercados de trabalho.

O relatório lista as 10 principais habilidades necessária neste futuro próximo:

  • Pensamento analítico e inovação
  • Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem
  • Criatividade, originalidade e iniciativa
  • Design e programação de tecnologia
  • Pensamento crítico e análise
  • Resolução de problemas complexos
  • Liderança e influência social
  • Inteligencia emocional
  • Raciocínio, resolução de problemas e ideação
  • Análise e avaliação de sistemas

Um estudo desenvolvido pelo SENAI divulgado no segundo semestre de 2018, traz diversas novas profissões. Algumas delas ligadas a setores de atuação da Qualidados, como:

Químico e petroquímico:

  • Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas.
  • Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos.
  • Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos.

Petróleo e Gás:

  • Especialista em técnicas de perfuração.
  • Especialista em sismologia e geofísica de poços.
  • Especialista em recuperação avançada de petróleo.

 O imperativo de requalificação

Mudanças atuais em curso na força de trabalho irão deslocar alguns trabalhadores, enquanto ao mesmo tempo criar novos oportunidades para os outros.

Portanto, é central para o sucesso de qualquer estratégia relacionada a oportunidade de emprego ter uma força de trabalho motivada e ágil, equipada com habilidades futuras para aproveitar novas oportunidades através de reciclagem contínua e requalificação.

Se começarmos a tomar providências agora, para mudar a natureza do trabalho, podemos não criar apenas lugares em que as pessoas amem trabalhar, mas também criar a inovação que precisamos para repor os milhões de empregos que serão substituídos pela tecnologia.

Essas transformações, se administradas sabiamente, podem levar a uma nova era de bom trabalho, bons empregos e melhor qualidade de vida para todos, mas, se mal administradas, representam o risco de ampliar as lacunas de habilidades, maior desigualdade e polarização mais ampla. Por tudo isso, o momento de moldar o futuro do trabalho é agora.

2018-11-14T12:13:18+00:0014/11/18|

About the Author: