Veículo: Revista O Empreiteiro

Qualidados parte de Camaçari(BA) para outras conquistas no domínio da engenharia
Tudo começou no Polo Petroquímico de Camaçari (BA) em 1993.  De lá para cá as conquistas não param.
E a empresa amplia espaço no exercício da inteligência para gerenciar projetos, obras e complexas paradas de manutenção
 
Nildo Carlos Oliveira – Salvador (BA)Foi com o conhecimento obtido no dia a dia do Polo de Camaçari que a empresa foi fundada e se estruturou para obras futurasEla foi fundada por conta do Polo Petroquímico da Bahia. Naquele ano da última década do século passado, três engenheiros, todos com perfil de empreendedores, prospectaram a oportunidade de desenvolver serviços especializados nas áreas da engenharia e da tecnologia junto a empresas ali instaladas.Os pioneiros foram Maurício Netto Simões e Luiz Henrique de Oliveira Costa, que continuam na empresa, e Newton Aquino, que dela se desligaria em 1999, deixando o campo aberto para a contratação de Cláudio Brito Freitas, no ano seguinte.  Em 2001 foi contratada Jane Carvalho. Formada em comunicação e mestre em marketing, ela ingressaria na sociedade da empresa em 2008. A exemplo de seus três colegas, é detentora também da certificação Project Management Professional (PMP).Os quatro, reunidos aqui em Salvador (BA), para este depoimento à revista O Empreiteiro, depois da escolha da Qualidados como uma das Empresas de Engenharia do Ano, lembram aspectos dos primeiros passos de trabalho em conjunto. E informam que o mercado da engenharia, na época, tinha uma lacuna a ser preenchida no campo do gerenciamento de projetos. “Então, naquele momento, não poderíamos deixar que a oportunidade passasse por nós em brancas nuvens”, informam.
Com esse entendimento, eles estruturaram a empresa para fazer uma enorme travessia. Conheciam o ambiente em que operavam, mantinham contatos qualificados e contínuos com diretores e gerentes das empresas para as quais a Qualidados começava a prestar serviços e sabiam que eram poucas, bem poucas mesmo, na época e naquelas circunstâncias, as empresas que detinham a capacitação para realizar um trabalho diferenciado de planejamento, com o fornecimento de engenhosas soluções específicas para cada caso.

EMPRESAS-perfisMaurício Netto Simões ressalta, no depoimento: “O fato de prestarmos serviços por outra empresa – antes de fundarmos a nossa – não era suficiente para que ficássemos satisfeitos com o que estávamos fazendo. Precisávamos de maior autonomia, de um melhor plano de voo”.  E Luiz Henrique e Cláudio Freitas complementam: “Com empresa própria, teríamos onde desaguar o nosso potencial e aproveitar o potencial que o mercado nos oferecia, do ponto de vista de serviços e oportunidade”.Os primeiros passos, com a avaliação do mercado

Os diretores da Qualidados informam que os primeiros passos consistiram, na prática, nos estudos para avaliação do mercado e dos clientes potenciais. Maurício e Luiz Henrique operavam há mais de oito anos na área – antes de formarem a empresa – e, da mesma forma como eles sabiam da necessidade da aplicação, ali, de um segmento da engenharia especializado, os clientes também sabiam do que aqueles ousados prestadores de serviços seriam capazes. Consideravam, portanto, que a nova empresa, em fase de fundação, poderia contar, em seus primeiros passos, com o retorno financeiro de que eles precisavam para se manter no período de transição.

Cláudio Freitas enfatiza: “O nosso trabalho era a prestação, digamos assim, de uma consultoria. Um trabalho especializado, capaz de representar, para o cliente, um ganho muito importante, com investimento pequeno, considerando a escala dos serviços. Além do que, sabíamos mostrar que a engenharia não estaria dissociada das grandes possibilidades da tecnologia expressa nas modernas ferramentas da computação. Soubemos combinar as duas coisas, em favor dos aperfeiçoamentos do gerenciamento de projetos”.

Na época, a empresa operava nos segmentos de indústrias químicas e petroquímicas. Depois, passou a atuar em outros segmentos, como o de alimentos, bebidas, celulose e fortemente no segmento de siderurgia. Mas a obra que representou o primeiro grande contrato foi o planejamento de paradas de manutenção na Refinaria Landulpho Alves, a Rlam-BA. Esse contrato viria a fortalecer o vínculo da empresa com a Petrobras. Foi dando a partida nas obras da Rlam, que ela veio, mais tarde, a realizar operações semelhantes em diversas outras refinarias da estatal, de que é exemplo o serviço feito em Cubatão (SP).

Cláudio explica que as paradas de manutenção, em refinarias, ocorrem basicamente a cada cinco anos. São operações que devem ser planejadas de tal modo, que evitem pontos críticos, pois não devem significar um tempo elevado de paralisação das unidades. Os projetos para um trabalho desse tipo e desse porte têm todas as restrições possíveis. E, enquanto as operações das paradas prosseguem, a planta deve voltar a produzir o mais rápido possível, por causa do lucro cessante.

O objetivo, no fundo, conforme corroboram Maurício Netto Simões e Luiz Henrique, é reduzir o tempo das paradas; fazer tudo o que precisa ser feito no menor tempo e com o menor custo, dentro das margens de segurança internacionalmente recomendadas. Portanto, operações desse tipo precisam ser realizadas no prazo, no custo e com a qualidade necessária. Falhas? Não pode haver. O planejamento do gerenciamento é elaborado para que essa possibilidade não seja, nem sequer, aventada.

Um campo vasto para crescer

Jane Carvalho diz que a Qualidados era uma empresa pequena dentro da qual ela e os demais diretores amadureceram.  “Vimos”, afirma, “que deveríamos crescer de forma responsável e sustentável. E focamos em ações nessa direção.” A propósito, foi essa a pergunta que todos se fizeram, numa reunião, naquela época: “O que vamos querer ser, quando a empresa crescer?” Obviamente pretendiam ser uma empresa maior, de renome nacional.  “Mas”, pondera a diretora, “crescimento tem um custo e precisávamos deixar isso claro”.

O crescimento precisa acontecer, mas com qualidade e sustentabilidade. Foi por isso que Jane Carvalho e equipe se empenharam na questão da gestão. Assim, ainda em 2002, a empresa começou o processo para a obtenção da certificação ISO 9001, uma conquista que se efetivou no ano seguinte. Seguindo a linha do tempo da empresa vamos verificar que, em 2004, ela adotou critérios PNQ, no planejamento estratégico; em 2005 implantou a metodologia do Balanced Scorecard (BSC); e, em 2006, colocou as mãos na certificação das três normas: ISO 9001 (Qualidade); ISO 14001 (Meio Ambiente) e OHSAS 18001 (Segurança e Saúde Ocupacional).

Em 2008 – ano em que Jane Carvalho entrou na sociedade – a Qualidados foi contemplada com o prêmio do Programa Parceria Responsável (PPR), da Petrobras. Qualificava-se, desse modo, como empresa classificada como “melhor fornecedor de médio porte, no Brasil, na unidade de Negócios do Abastecimento” da estatal. E, em 2009, receberia a recertificação naquelas três normas mencionadas. Ainda, nesse ano, receberia um segundo prêmio da Petrobras.
“Foi assim, de ascensão em ascensão”, informa Jane Carvalho, “que em 2011 aparecemos no ranking da revista O Empreiteiro”.

“O Brasil é o nosso caminho”

A empresa, conforme assinalam seus quatro diretores, está batendo às portas do futuro. Conscientes de que operam naquele nível da inteligência estratégica da engenharia, eles vêm cuidando de uma rearrumação na programação dos trabalhos, no que diz respeito à responsabilidade de algumas áreas, a fim de que “as cabeças pensantes” tenham mais tempo para pensar. Não devem ficar limitados à inerente burocracia empresarial.

É com essa visão, voltada para o futuro, que Jane Carvalho desenha também o que pretende para a empresa. Diz ela: “É precoce pensarmos do ponto de vista de uma eventual internacionalização. Temos os pés no chão e estamos focados no Brasil. Para nós, o horizonte está muito claro: a Petrobras, apesar dos problemas econômicos na Europa e da desaceleração da economia chinesa, continua a manter e a colocar em prática uma carteira de investimentos muito grande. Além disso, estamos convencidos de que o Brasil não tem como nem por que retroceder. Ele tem muitas obras de infraestrutura a realizar nos segmentos rodoviários, ferroviários, portuários, aeroportuários. E temos plantas siderúrgicas, metalúrgicas, química, petroquímica, de papel e celulose etc. Está aí o mercado de óleo e gás com todas as suas futuras consequências. Portanto, o Brasil é o nosso caminho.”

Em 2011 a empresa registrou faturamento de R$ 56.361.127,10. Já a previsão de faturamento para este ano é da ordem de R$ 75 milhões.

Algumas das obras da empresa

Alguns dos contratos da Qualidados são relacionados a obras para a Alusa Engenharia (unidade de hidrocraqueamento HCCC/Comperj); para a Refinaria Isaac Sabbá ou Refinaria de Manaus (Reman) e para a Refinaria Presidente Bernardes (Cubatão-SP).

No caso das obras para a Alusa Engenharia, a Qualidados realizou análise de construtibilidade do projeto para implantação da unidade de hidrocraqueamento. O trabalho teve em vista a identificação de problemas que poderiam impactar na execução da construção e montagem, de forma a assegurar a execução dos trabalhos no prazo e segundo os critérios de segurança, qualidade e custos previstos. Esse trabalho começou em agosto de 2010, avançou até outubro daquele ano e prosseguiu de janeiro a fevereiro de 2012.

Na Refinaria de Manaus os serviços técnicos de planejamento e controle visam o apoio à coordenação na parada geral programada para a manutenção. Estão sendo realizados serviços técnicos de planejamento e controle e apoio à coordenação das paradas programadas nas unidades de processo, transferência e estocagem, tochas e utilidades da unidade de negócios. Os trabalhos começaram em novembro de 2010 e deverão ser concluídos até novembro deste ano (2012). Os principais produtos desta refinaria são gás de cozinha, gasolina, querosene, querosene de aviação, diesel, óleos combustíveis, asfalto e álcool.

A Refinaria de Cubatão (SP) tem capacidade instalada para 170 mil barris/dia. Ali são produzidos gasolina Podium, gasolina comum e de aviação, óleo diesel, coque, GLP, nafta, gás natural, butano, benzeno, xilenos, tolueno, hexano, enxofre, resíduo aromático, hidrogênio e componentes para gasolina da Fórmula 1. Os serviços contratados foram de planejamento, controle e apoio à coordenação nas paradas de manutenção nas unidades de processo, transferência e estocagem, tochas e utilidades, abrangendo as atividades de projeto, suprimento, manutenção, inspeção, segurança etc. Os trabalhos começaram em abril de 2011 e prosseguiram até agosto deste ano. E, até fevereiro de 2014, a Qualidados tem contrato com a RPBC

Edição: 513 – Empresas de Engenharia do Ano

Clique para ver a matéria online
Capa_OE