Sua vida virtual é saudável?

>>>Sua vida virtual é saudável?

Sua vida virtual é saudável?

Um guia com dados de pesquisa sobre internet e saúde mental, dicas úteis e até um quiz para você avaliar se está exagerando na atividade on-line.

As telas estão em todo lugar. Com internet disponível a cada esquina, computadores, smart tv’s, tablets, e smartphones nos mantém hiperconectados em tempo integral. E as redes sociais reconfiguraram nossas formas de construir e mesmo romper vínculos sociais. Mas, afinal de contas, como toda esta tecnologia afeta a saúde psíquica? Como saber se o uso que nós (e nossos filhos) fazemos destas ferramentas está resultando em bem-estar e qualidade de vida? E que medidas tomar quando a resposta a esta pergunta for não? Nesta edição do QualinewsIn, criamos um guia para ajudá-lo a refletir sobre a quantas anda a sua vida virtual, com direito a dados de pesquisas internacionais, dicas de organizações especializadas e até o link para um quiz sobre uso excessivo de internet. Aproveite!

            O que dizem as pesquisas?

            Pesquisas mostram uma correlação entre uso excessivo de internet (e particularmente redes sociais) e a ocorrência de transtornos psíquicos. Um estudo divulgado em 2018 pela Royal Society for Public Health mostrou que nos últimos 25 anos houve aumento de 70% nas taxas de ansiedade e depressão em jovens, e que estes e outros sintomas (como a insônia) estão associados ao uso de mídias sociais. No mesmo levantamento, que ouviu jovens britânicos de 16 a 24 anos, as mídias sociais foram descritas como mais viciantes que cigarro e álcool.  Já um segundo estudo, publicado este ano pela Royal Society, indicou que 27% das crianças que passam três ou mais horas por dia em sites de redes sociais apresentam sintomas de doenças psíquicas. Entre aquelas que não fazem uso das redes, o percentual é de 12%.

Uso excessivo da Internet é doença?

Quanto a esse ponto, há controvérsias.  O último DSM V (manual de diagnóstico e estatístico de transtornos mentais) incluiu em sua relação de desordens o Transtorno do Jogo pela Internet, e há correntes da psicologia e da psiquiatria que vêm o uso excessivo como uma patologia em si, com tratamentos específicos para o problema. Você pode ver aqui, por exemplo, a proposta do Centro de Dependência da Internet (Center for Internet Addiction), nos Estados Unidos. No entanto, é importante lembrar que o uso excessivo pode ser consequência e não causa. Ou seja, por trás do uso patológico da internet pode estar um transtorno de ansiedade ou uma depressão. Em qualquer caso, o importante é pedir ajuda de um psicólogo ou psiquiatra.

            Como saber se meu filho passa tempo demais on-line?

Esta costuma ser uma preocupação grande de pais e educadores.  Numa época em que a internet se tornou onipresente, é preciso levar em conta não apenas o tempo de exposição, mas a qualidade do uso da internet e o grau de controle que o indivíduo tem sobre este uso. Assim, por exemplo, a situação torna-se mais preocupante quando a pessoa dedica longas horas a tarefas repetitivas e pouco criativas; se, mesmo querendo, não consegue parar, e, principalmente, nos casos em que a atividade on-line compromete outras esferas da vida (cuidados pessoais, trabalho, estudos, atividade física,  relacionamentos).

Como controlar o acesso dos meus filhos?

            É possível encontrar no mercado uma série de ferramentas que permitem o bloqueio e restrição de conteúdo. É interessante, por exemplo, conferir as orientações do Google sobre como proteger seus filhos on-line (veja aqui). Leve em conta, no entanto, que nenhuma ferramenta garante inteiramente que o seu filho não terá acesso a determinados conteúdos. O mais importante é estar presente, desde o início, como mediador. À medida em que a criança cresce, no entanto, ela precisa ganhar maturidade para navegar sozinha. Já na adolescência, é importante que os jovens tenham privacidade. A melhor estratégia de controle parental, portanto, continua sendo proximidade, diálogo e confiança entre pais e filhos.

Como controlar o meu acesso?

Uma dica são os recursos de gerenciamento de tempo que o Instagram coloca a disposição dos usuários. Com a ferramenta, é possível, entre outras coisas, definir o tempo máximo que você deseja permanecer no aplicativo por dia, programando um lembrete diário para receber, sempre que ultrapassar o limite. Em uma campanha recente, a Royal Society for Public Health divulgou estratégias interessantes de “desintoxicação”, como reservar horários específicos do dia para o acesso, fazer uma curadoria da sua timeline (deixando de seguir aqueles que têm um impacto negativo na sua autoestima e bem-estar) e usar o seu tempo offline para se engajar em práticas de autocuidado como meditação e exercícios físicos.

Faça o teste você mesmo

Instituição pioneira em sua área, o Centro de Dependência da Internet (Center for Internet Addiction), nos Estados Unidos, disponibiliza em sua página uma série de testes em inglês que permitem identificar sintomas de dependência em si mesmo ou em pessoas próximas.  Já no site da Safernet há um Quizz online que te ajuda a reconhecer se há sinais de uso excessivo da Internet em seu comportamento. A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, que se tornou referência nacional no enfrentamento aos crimes e violações aos Direitos Humanos na Internet.

2020-01-03T19:09:33+00:0003/01/20|

About the Author: