A importância da Gestão do Conhecimento nas empresas

>>>A importância da Gestão do Conhecimento nas empresas

A importância da Gestão do Conhecimento nas empresas

A conjuntura mercadológica vem há muitos anos passando por diversas transformações, impulsionando as organizações a terem um olhar diferente para os seus ativos, tendo em vista a era da informação e do conhecimento. Para a manutenção no mercado competitivo, o tripé “tecnologia, processos e pessoas” se torna fundamental e precisa estar coeso e bem estruturado.

Nesse sentido, para uma organização acompanhar as mudanças e contribuir com seus negócios, o conhecimento é a chave que vai representar a assimilação dessas mudanças, perpassando pelos pilares tecnologia, processos e pessoas.

Uma vez percebido o conhecimento como matéria-prima das organizações, este é utilizado para agregar valor aos serviços e produtos. No entanto, para resultados mais sólidos, o gerenciamento do conhecimento é necessário.

Mas afinal, o que é a Gestão do Conhecimento?

Em algumas literaturas a gestão do conhecimento se refere a aprendizagens individuais ou organizacionais, ao capital intelectual e à cultura do compartilhamento do conhecimento.

Para Carvalho (2001), a gestão do conhecimento é a área que estuda o modo como as organizações entendem o que elas conhecem, o que elas necessitam conhecer e como elas podem tirar o máximo proveito do conhecimento.

Para Garde et. Al. (2007), a gestão do conhecimento é um conjunto de processos que possibilitam a criação, desenvolvimento, organização, compartilhamento, disseminação, utilização e manutenção contínua de arquétipos.

Em suma, a gestão do conhecimento nada mais é do que criar mecanismos e uma governança que possibilite o fluxo do conhecimento por toda uma organização, desde o seu nascimento até a sua aplicação.

Papéis dos processos, tecnologia e pessoas na Gestão do Conhecimento:

  • Tecnologia da Informação facilitará o processo da gestão da informação, considerando o grande volume de dados numa organização.
  • A gestão por processos proporcionará a interação entre as áreas da companhia e correto curso do conhecimento.
  • As pessoas são a base de toda a operação, responsáveis por disseminar a cultura do conhecimento.

Existem alguns modelos de implantação da Gestão do Conhecimento que são influenciados pela natureza dos serviços de uma organização, mas por todos a Governança está presente. Para Foss (2009), a Governança do Conhecimento é resultante da interação da implantação dos mecanismos de governança corporativa e a gestão dos processos de conhecimento para a otimização dos resultados econômicos da organização. Mais uma vez, percebe-se a integração dos três pilares para o sucesso da implantação da Gestão do Conhecimento.

No entanto, é sabido que para qualquer implantação bem-sucedida, o apoio da alta direção se faz presente. Sem este patrocínio, a transformação do mindset da cultura do conhecimento entre a equipe não irá acontecer.

Vantagens e ganhos da implantação numa empresa

Transformar o conhecimento tácito em explícito → Documentar todo o conhecimento que está na “cabeça” de determinadas pessoas e torná-lo acessível a todos

Garantir a retroalimentação das lições aprendidas → Preservar a memória corporativa através da armazenagem e utilização das lições de projetos anteriores

Gestão do capital intelectual e de competência → Identificar quais conhecimentos os colaboradores já possuem e desenvolver habilidades com capacitações que serão importantes para os indivíduos e o negócio

Ambiente de aprendizagem empresarial → Proporcionar a constante aprendizagem, estimular a inovação, permitindo que todos contribuam para agregar valor aos serviços da empresa.

O principal ativo das empresas está no capital intelectual das pessoas e das metodologias empregadas. O processo de Gestão do Conhecimento, quando bem implementado e patrocinado pela alta direção, promovem resultados substanciais no longo prazo. Fortalecer esse ativo é se tornar perene num mundo de transformações cada vez mais intensas.

Referências:

CARVALHO, G. M. R.; TAVARES, M. S. Informação & conhecimento: uma abordagem organizacional, 2001.

GARDE, S. KNAUP, P. HOVENGA, E.J.S. HEARD, S. Towards semantic interoperability for electronic health records: Domainknowledge governance for openEHR archetypes. Methods of Information in Medicine, 2007

FOSS, K. FOSS, N.J. Managerial Authority When Knowledge is Distributed: A Knowledge Governance Perspective. KnowledgeGovernance: Processes and Perspectives, 2009

 


Descrição sobre a autora:

 

Aíla Oliveira Sacramento: Atualmente atua como Analista de Processosno Escritório de Projetos (PMO). Tem formação em Engenharia de Produção, faz parte do Comitê da Gestão do Conhecimento na Qualidados, além de possuir experiência em modelagem de processos.

2022-02-18T16:48:53+00:0002/02/22|

About the Author: