A prática da meditação é secular, surgida no oriente ganhou nas últimas décadas a adesão do mundo ocidental. Em uma época onde as mudanças acontecem cada vez mais rápido tem sido difícil para as pessoas acompanhar a velocidade das transformações, como consequência tem crescido muito os problemas de ordem emocional, com impacto na vida pessoal e profissional.

Ansiedade, depressão e distúrbios de atenção estão entre as consequências mais frequentes do estilo de vida moderno. Para fazer frente a isso vem crescendo a adoção de práticas e técnicas de meditação que pretendem ajudar a reestabelecer o equilíbrio interior.

Mais que um modismo, as práticas de meditação vem recebendo a atenção dos cientistas e alguns de seus benefícios começam a ser comprovados por estudos científicos desenvolvidos em todo o mundo a algumas décadas.

Quantas vezes realizamos tarefas no piloto automático e logo depois nem sequer lembramos o que fizemos. Tentamos nos concentrar em algo, mas paramos o tempo todo para ler um e-mail, responder ao WhatsApp, ler uma notícia ou atender uma ligação, aí o tempo passa e quando nos damos conta não produzimos nada.

A dificuldade de concentração é frequente e as fontes de distração não param de aumentar. Nesse novo ambiente digital esse fenômeno só tem se agravado. Segundo as estatísticas, passamos cerca de onze minutos no máximo concentrados em uma atividade antes que alguém nos interrompa. E, se ninguém faz isso, somos nós mesmos que nos desconectamos. Se isso fosse pouco, cada momento de falta de concentração faz com que se leve entre dez e 20 minutos para recomeçar a atividade. Não estamos acostumados a estar situados no presente. Nosso corpo está, mas nossa cabeça não.

Focar a atenção em apenas uma tarefa é um desafio e a meditação mindfulness pode ser a resposta para se manter presente. De modo geral, o treinamento visa refinar a sua atenção com exercícios diários para desenvolver a concentração.

O que significa Mindfulness?

O termo não tem uma definição precisa, a palavra em inglês para a técnica de meditação sugere que a mente (mind) está completamente (fully) atenta ao que está acontecendo dentro e fora do corpo, refere-se à prática como a de “atenção plena”, um estado mental que consiste em estar conscientemente atento às situações do momento presente, de forma “plena”, com “atitude aberta e não julgadora”.

A prática visa tornar o indivíduo atento ao que está acontecendo com sua mente e corpo no presente, a cada instante.

Para os que acreditam ou mesmo para os céticos, a prática da meditação é capaz de diminuir dores crônicas e pressão arterial, manter o cérebro jovem (a ponto de a ciência estar pesquisando sua eficácia na prevenção do Alzheimer), evitar crises de ansiedade e depressão e aumentar a criatividade e os resultados nas escolas e no trabalho. Por isso vem sendo cada vez mais adotado no treinamento de atletas de alta performance e nas empresas.

A prática do mindfulness pode amenizar desde quadros emocionais extremos, até na redução do hábito de fumar e é associada a um efeito muito falado, mas de difícil mensuração: o bem-estar.Mas como praticar o mindfulness?

Há inúmeros livros, vídeos e cursos disponíveis para aprender as técnicas de meditação, mas é possível fazer algumas práticas simples, em vários momentos do dia, que permitem colher alguns dos benefícios desejados.

Pinte: Atividades normalmente associadas a infância como pintar e colorir, são capazes de promover um estado de concentração e foco e para isso são necessários apenas papel e tinta.

Respire: Apesar de existirem muitas técnicas de respiração, é possível começar com a mais simples, que é a respiração quadrada. Basicamente trata-se de cadenciar a respiração, se dando conta de que se está respirando e afastar todo pensamento que tente interferir neste exercício.

Exercite a atenção: Você presta atenção ao escovar os dentes ou aproveita o momento para mexer no celular ou fazer xixi? “A escovação é um começo simples e efetivo. Foque nas ações táteis, tente não se distrair, pense nas cerdas, na gengiva, no gosto da pasta, no momento”.

Não julgue: para treinar o mindfulness é preciso cultivar uma atitude que envolve abrir mão de julgamentos, aceitar as situações como são, reconhecer a realidade e desenvolver curiosidade pela experiência.

Olhe o caminho: De pé, repare na gravidade agindo sobre seu corpo. Sinta a pressão na sola dos pés e tente ver qual detém mais apoio. Só então, comece a andar. Repare como seus braços balançam e como as pernas se intercalam. Note como o joelho se dobra e o pé bate no chão. Você vai se sentir ridículo, mas tente se mover de forma natural. Observe os barulhos ao seu redor. Quais as sensações dos dedinhos enquanto eles se dobram? Se algo o distrair, traga a atenção de volta.

E aí, ficou empolgado para praticar o mindfulness? A prática constante se transforma em hábito e pode mudar a sua vida para melhor. Pense nisso.