A revolução da inteligência artificial já está acontecendo e seu potencial de transformação em todas as instâncias das relações humanas é imenso. No ambiente de trabalho ela trará muitos benefícios, maior eficiência e novas possibilidades.

Para lidar com isso, novas habilidades serão necessárias para fazer frente aos novos desafios do ambiente de trabalho.

Segundo um relatório da empresa Accenture, a adoção da tecnologia da inteligência artificial nas empresas pode aumentar a produtividade do trabalho em até 40%. Estima-se que, até 2035, o crescimento econômico anual de muitos países desenvolvidos deve ser duplicado, graças à IA.

Diferentemente dos robôs da ficção científica, com aparência humana, a inteligência artificial pode estar embarcada em qualquer dispositivo. Desde os assistentes pessoais em celulares até os carros autônomos, a IA já está presente em nosso dia a dia e crescendo de forma acelerada.

A seguir, saiba mais sobre as possibilidades que a inteligência artificial pode oferecer.

Alguns exemplos de aplicação de IA:

  1. Assistentes pessoais

A Siri da Apple é um bom exemplo de assistente virtual que facilita processos simples. Os colaboradores podem consultar os calendários e visualizar tarefas, além de acionar alarmes e lembretes para não deixar passar nenhuma atividade.

  1. Robotização

Os robôs mais modernos podem não estar tão longe dos filmes de ficção — eles já conseguem trabalhar autonomamente e aprender novos padrões em tempo real, além de interagir com outras máquinas. Alguns nem precisam ser programados, bastando ser ensinados uma vez a fazer o trabalho.

  1. Chatbots

Os chatbots são recursos de inteligência artificial que utilizam conversas com linguagem descomplicada para interagir com apps. Para isso, reproduzem o comportamento decisório de um ser humano: eles são capazes de reconhecer nomes, números impressos em documentações e de avaliar a expressão do cliente.

  1. Watson

Queridinho no ramo da computação cognitiva, Watson é um sistema que fala e entende a fala de terceiros. A tecnologia tem potencial para facilitar o atendimento aos clientes, o treinamento de funcionários e a gestão financeira. A grande sacada do sistema é aprender com a própria experiência, oferecendo resultados cada vez mais precisos.

  1. Predições

Dotadas de inteligência artificial, as máquinas se tornam capazes de predizer cenários e encontrar soluções para as problemáticas dos gestores. Assim se torna possível, por exemplo, realizar uma mensuração da eficiência dos planos de ação da empresa antes de colocá-los em prática.

A inteligência artificial e suas vantagens para a indústria

Previsão e redução de erros

Imagine um software que controla toda a produção de um produto. Em determinado momento, ele detecta uma alteração mínima na velocidade das máquinas ou uma pequena falha de fabricação em alguma das mercadorias e notifica o gestor da produção imediatamente.

Sem esse sistema, falhas na qualidade de um lote ou pequenas perdas de produção são notadas apenas horas ou dias após o acontecimento, gerando retrabalho e mais custos ao negócio. Com as soluções de manutenção preditiva geradas pela inteligência artificial, os gestores podem ser notificados sobre o problema imediatamente.

Além disso, há ferramentas “treinadas” para analisar os riscos, prever e solucionar problemas que gerariam perda de lucratividade e máquinas inteligentes preparadas para detectar produtos fora do padrão a partir da inspeção visual, agindo com rapidez e qualidade.

Ganho em eficiência e produtividade

Produtividade é palavra-chave quando falamos em inteligência artificial aplicada à indústria. Além de minimizar problemas e reduzir custos, as máquinas inteligentes são capazes de ler um grande volume de dados e analisá-los para otimizar os processos. Os gestores podem controlar os resultados da produção e fazer ações remotamente, ou ainda contar com softwares treinados para pôr em prática as soluções em seu lugar.

Outro benefício dessas máquinas é a integração de vários setores em um único sistema, que lê, controla e analisa as informações relacionadas à logística, vendas, produção, entre outras áreas. Imagine uma ferramenta capaz de compreender as demandas dos clientes e, assim, organizar novos pedidos de compra de matéria-prima, controlar os estoques e fazer vendas assertivas conforme as necessidades do consumidor. Isso já é possível graças a uma única ferramenta inteligente.

As máquinas autônomas nas linhas produtivas

Desde o século passado, a indústria tem adotado a aplicação de sistemas que conseguem tomar decisões a partir de um grande volume de dados.

Esses sistemas têm, entre outras características, a capacidade de aprender e de se adaptar de acordo com mudanças no setor produtivo.

Seja um defeito ou a flexibilização dos produtos que estão sendo produzidos, as máquinas têm o poder de se comunicar umas com as outras e adaptar a planta industrial para atender a uma nova demanda.

A inteligência artificial nas empresas, juntamente com robôs autônomos, viabiliza uma produção mais personalizada e eficiente, visando à redução de custos, economia de energia, fim do desperdício e o aumento da segurança dos trabalhadores.

Inclusive, já existem robôs industriais que não precisam de programação prévia: eles, simplesmente, aprendem ao ver alguém executando uma determinada tarefa e repetem os mesmos movimentos.

As 4 revoluções da Indústria

Qualificação da mão de obra

Enquanto algumas pessoas estão seguras sobre as vantagens da inteligência artificial, outras ainda olham com desconfiança para essas novas tecnologias. Um dos principais motivos é a ideia de que robôs, softwares e sistemas possam tomar o lugar das pessoas nos processos produtivos e gerenciais, reduzindo postos de trabalho e gerando uma onda de desemprego em todo o mundo.

Aparentemente, não há consenso entre as estimativas feitas por centros de estudo sobre a criação ou redução de empregos em relação à inteligência artificial. A CB Insights, empresa de pesquisa e análise de dados, publicou, em 2017, um estudo que prevê a extinção de dez milhões de empregos nos próximos cinco a dez anos, a maioria relacionada às áreas de serviços e logística.

Enquanto isso, uma outra pesquisa, realizada pela consultoria americana Gartner e publicada em 2017, aponta que o ano de 2020 marcará o crescimento de empregos relacionados à inteligência artificial, com cerca de 2 milhões de novos empregados em cinco anos, dispensando trabalhadores de atividades repetitivas para apostarem em outras tarefas.

De qualquer maneira, o que não se discute é que a ampliação do uso da inteligência artificial na indústria demanda profissionais qualificados. Afinal, robôs e outras ferramentas precisam de pessoas para desenvolvê-los, operá-los e gerenciá-los, e essa perspectiva gera incentivo para a capacitação e qualificação profissional.

 

Teremos artigo técnico?